fbpx

4 DICAS PARA UMA BOA PRODUÇÃO DE CONTEÚDO JURÍDICO

Com as mudanças inevitáveis em praticamente todas as áreas da sociedade, estar presente no mundo digital é vital para a continuidade de um negócio. No direito não foi diferente: a produção de conteúdo passou a ser vital para quem deseja passar não só conhecimento, mas também captar clientes.

 Além de tudo, nas faculdades de Direito raramente foi ensinado a empreender ou a captar clientes. Com o meio digital, aparentemente se tornou mais fácil fazer essa captação. Na prática, muitos já sentem que não é tão simples assim. É necessário prática e estratégia. 

Mas, como fazer uma produção de conteúdo que realmente engaje e esteja dentro das normas da OAB? É sobre isso que falaremos hoje.

 1 – Em primeiro lugar, o advogado(a) deve ter em mente que por mais que a produção de conteúdo seja delegada, é a imagem do escritório e do advogado(a) que deve aparecer. A relação personalíssima é de fundamental entendimento, pois o cliente precisa confiar na capacidade intelectual do seu advogado(a) para resolver um problema. Portanto, a primeira dica é aparecer mais, não só com postagens de conteúdos, mas sobretudo com vídeos e nos stories.

 2 – A segunda dica que é extremamente importante, é o relacionamento humanizado. Muitos confundem o termo “humanizado” com colocar emojis no Instagram, trazer uma linguagem mais coloquial. Porém, a humanização está no processo de conexão com o público (que inclusive, faz uma relação com o item 1), e essencialmente na passagem de informação que solucione uma dor do cliente de forma didática e sem o vocabulário robusto.

 3 – A terceira dica que é uma dúvida comum sobre redes sociais: “quando apenas responder uma pergunta simples e quando devo começar a cobrar pela consulta?”. Quando um advogado(a) não se encontra presente nas redes sociais e alguma pergunta aparece, caso ele não responda, poderá facilmente perder um cliente interessado. As dúvidas sempre são uma boa oportunidade de gerar negócios.

 Para resolver isso, o advogado(a) precisa deixar claro que ficar ali respondendo perguntas complexas sem cobrar uma consulta, é uma irresponsabilidade perante a OAB e que ele poderá ser penalizado. A melhor negociação que pode ser feita é via telefone, pois fica mais fácil explicar sobre isso. Vale falar também que cada caso é um caso muito embora existam leis específicas que abordem esses assuntos, cada cliente tem suas peculiaridades e por isso é necessário analisar o caso concreto.

 4 – A última dica que também é fundamental é não se prender às métricas de vaidade. Os seguidores, likes não são o mais importante. O grande medidor são os contratos fechados e as negociações feitas. De nada adianta ter uma rede social super ativa com seguidores ativos sendo que não há negócios. Portanto, a abordagem de fechamento comercial do advogado (a) é o que mais conta na hora de medir os resultados. 

 Conte com o SEIJNET e seus recursos para auxiliá-lo(a) no dia a dia!

 www.seijnet.com.br

Comentar